Relato de parto

16/12/2016




Era Quarta-feira dia cinco fomos ao hospital logo pela manhã devido a saída do tampão e uma pequena preocupação por perda de liquido, estava tudo bem, o médico responsável da obstetrícia do hospital conversou comigo e vendo minha preocupação disse que por decisão minha esperaríamos até terça dia onze para realizar a cesárea, caso eu tivesse outra crise de ansiedade ou muita dor poderia ir na sexta dia sete que ele faria o parto. Chegamos em casa por volta da uma hora, estava sentido cólicas leves dormi até as quatro da tarde as dezoito horas as cólicas ficaram mais fortes, após as vinte comecei a sentir as contrações de trabalho de parto, pedimos ajuda aos meus sogros para ir ao hospital pois a dor era tanta que eu não conseguia andar, chegando lá apenas um centímetro de dilatação o médico me deixou em observação por uma hora para ver se haveria evolução, fomos para dois centímetros com isso a enfermeira meu colocou no soro para agilizar a dilatação as quatro da manhã uma das enfermeiras de plantão disse que a dilatação estava em sete centímetros me mandaram para o chuveiro, fiquei cerca de meia hora lá, ao sair outra enfermeira mediu a dilatação e disse ser de apenas quatro centímetros mantive essa dilatação até as sete da manhã, houve troca de plantão o médico conversou comigo as nove horas sobre continuar ou passarmos para uma cesárea, pois ao ver dele o parto poderia se estender até o anoitecer, eu estava cansada no meu limite, minha mão direita estava inchada e o sono estava me deixando muito mole, na minha cabeça eu só queria ver meu bebê então depois do Edu ( esposo) me olhar e dizer você já fez muito vamos para a cesárea decidi então prosseguir para a cirurgia, tivemos que aguardar até o meio dia para um período de jejum, fui encaminhada para a sala pré parto, onde com toda certeza tive um dos melhores atendimentos da minha vida o auxiliar de enfermagem conversou comigo para me tranquilizar durante uns dez minutos logo em seguida, conheci meu anestesista que creio que foi a pessoa que salvou o parto pois durante todo o processo ele foi me dizendo o que estava ocorrendo e me acalmando, a raqui era um dos meus maiores medos e realmente foi difícil não por sentir dor na hora da aplicação mas porque a primeira falhou então foi necessário uma segunda dose, sei que muitas mães criticam hoje o parto cesárea com o grande crescimento do parto humanizado , entretanto para mim foi muito mais difícil tomar a decisão da cesárea sempre tive medo de agulhas e bisturis, durante toda a minha gestação dizia constantemente ao meu obstetra que queria parto normal, ele sempre olhava para mim e passava a mesma mensagem de que eu estava sendo muito rígida comigo, no fim das contas quando estava na mesa de cirurgia pensava comigo mesmo meu bebê está vindo.
  Ele veio a uma e cinco da tarde  do seis de outubro eu ouvi o choro dele, na consegui conter as lágrimas nem compreender o sentimento do momento, mas uma cena jamais vai sair da minha cabeça o momento que a enfermeira colocou ele ao meu lado, ele estendeu a mão no meu rosto e acariciou minha bochecha ele não chorava, foi o momento mais profundo da minha vida, a forma de carinho mais pura e sincera, não me culpo por ter escolhido a cesárea não sofro, amo meu filho e dei a ele a luz desse mundo com meu carinho a ele em todos os momentos da gestação, por fim com esse relato só quero dizer a todas as mamães e futuras mamães que não se culpem, não se sobrecarreguem, você sabe o limite da sua força e você não é menos mãe ou menos forte do que a mãe que teve parto normal, sempre sonhei com aquela cena de filme da bolsa estourar e a enfermeira me dizendo faça força ele está vindo, mas no fim a frase que ouvi foi " fique calma ele está chegando, olha só veja só que meninão, opa ele chegou" vindo do meu anestesista , mas sobre tudo o meu maior apoio veio do homem que me deu a chance de ser mãe, meu esposo que sofreu comigo todas as dores e ficou lá sentado a um metro de distância de mim com o coração na mão, me apoiou e esteve comigo em toda a gestação obrigada por tudo meu amor.











Nenhum comentário:

Postar um comentário